domingo, 19 de junho de 2016

Preocupações de filha

A minha mãe hoje dá entrada no hospital.
Não será nada de muito grave.
Ela vai se submeter a uma cirurgia à bexiga, devido a incontinência de esforço.

Mas uma cirurgia é sempre uma cirurgia.
Ainda mais quando leva anestesia geral.

Vai correr tudo bem.
Pensamento positivo e muita fé em Deus.

Vacas Felizes




Quem pensa nos Açores, pensa em mar, verde, flores, pastagens e claro nas nossas vaquinhas.

Quem já nos visitou e quem cá mora, de certeza que já se sentiu preso num engarrafamento. Não de carros, mas de vacas. Onde os automobilistas têm que aguardar pacientemente que as vaquinhas façam a sua mudança de um pasto para o outro.
E lá vai a Mimosa, a Corisca, a Felisbela, a Graciosa e outras mais, todas felizes e contentes, e ás vezes assustadas com os carros que encontram a meio do seu percurso.
 E não precisam de nenhum tio Chico na frente para lhes indicar o caminho, porque são muito inteligentes.  Elas sabem para onde têm de ir, algumas apenas se distraem com a erva ou os carros que encontram pelo caminho.

E foi com essas amiguinhas que a marca TERRA NOSTRA criou a fantástica publicidade ao novo leite dos Açores.
A publicidade é acompanhada de uma musica e letra que nos fica no ouvido e que, quer queiramos quer não, levamos o resto do dia a cantarolar.

O chamado Musical das Vacas Felizes.
O Videoclip foi produzido integralmente nos Açores e com figurantes Açoreanos.
E meus amigos.... As nossas vacas dançam e jogam xadrez....
Brincadeiras à parte, gosto muito do vídeo, e não consigo deixar de cantar a musica, e tudo isso se deve à criatividade da Young & Rubicam.


Cantorias à parte,  é o primeiro leite de pastagem português.
Hummm não é para qualquer um, é só para quem pode. E os produtores de leite foram selecionados. Nem todos se podem dar ao luxo de produzir esse leite. Têm que obedecer a determinados critérios e regras.

E agora, deixo-vos um bocadinho da música.

" Uma vaca feliz, duas vacas felizes
 Uma ilha de vacas felizes
Andam sempre a passear, têm vista para o mar
E o pasto verdejante é o seu manjar "




segunda-feira, 30 de maio de 2016

HE knows a lot !

Cada vez mais chego à conclusão que Ele sabe o que faz.
Não foi à toa, que fui  a feliz contemplada: " mãe de 2 rapazes lindos ".

Dizem que o mais velho para o ano vai fazer a 1º comunhão.
E esta mãe aqui, virgem nessas andanças, já está a idealizar o dia.
Já começo a pensar na roupa, no bolo, onde vai ser o almoço, se em casa se num restaurante ??!!

Que isto pensando que não, tem muito que se lhe diga. É um mundo de opções.

As cores já escolhi. Azul escuro e cinza prata. Sim, porque pelo facto de ser rapaz, tem as suas vantagens. Ele não está nem aí para os preparativos. Quer lá saber das cores e do bolo e daquilo que vai comer!  Aqui não há brigas. A mãe manda.

Nem quero pensar como vai ser quando chegar o dia do casamento.

Será que a minha futura nora vai me expulsar dos preparativos ?

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Cheirinho a férias.


Já estiveram mais longe.

Dentro de 1 mês e meio, terei o merecido descanso.
Ou não.

Que isso de ficar de ferias com os 2 pequenos príncipes, com o marido a trabalhar... é mais ao estilo de gata borralheira.

É tão bom ser criança.

- Pai, onde me foste buscar ?
- Como assim ?
- Como me fizeste ?
O pai muito enrascado, pede ajuda com o olhar à mãe, tipo descalça-me essa bota please....
E a mãe ajuda na festa, - Sim pai, como lhe fizeste ?
Mas o sacana não perde a piada e diz:
- Sabes filho, uma noite no méxico o Pai, deu-lhe uma veia de artista, pegou num lápis, e desenhou-te.
O filho olha incrédulo para o pai, tipo: Eu sei que só tenho 4 anos, mas nem eu acredito nessa!
O mais velho, ri entre dentes com a malicia não tão maliciosa dos seus 8 anos, e a mãe lá tem que intervir e dizer uma meia verdade.
- Sabes filho, quando um pai e uma mãe se amam muito, muito, o amor deles faz crescer um bebé na barriga da mãe, e depois quando já estavas pronto para sair da barriga, a mãe foi pedir ao médico para fazer um buraquinho pequenino, tirar-te da barriga e voltar a cozer a barriga da mãe.

E antes que houvesse mais perguntas, fui logo mostrar-lhes as fotos da minha gravidez e das ecografias que guardo no livrinho de bebé de cada um deles.

Eles ficaram maravilhados ao ver-se nas fotos que as perguntas ficaram por aí.

Na realidade eles não nasceram de cesariana, mas pareceu-me mais fácil que entendessem essa explicação que tentar descrever as maravilhas de um parto natural com epidural.

Isso deixarei para daqui a uns aninhos.
E se eles quisessem ver a prova da cicatriz na minha barriga, apesar de não ter nenhuma prova cirúrgica, mostraria de bom grado as estrias enormes a que chamo de " marcas de guerra " por ter carregado com muito orgulho durante meses os meus bezerrinhos com mais de 4kg cada um.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Festas do Sr. Santo Cristo


Para quem me conhece bem, sabe que estas são as minhas festas.
Adoro as festas do Santo Cristo.
São umas festas que fazem parte da minha criação.
Lembro-me perfeitamente da minha mãe comprar uma roupa nova para usar nas festas, geralmente no domingo da procissão, e por acaso, tenho a mania de fazer o mesmo aos meus filhos.

Desde criança que vibro com essas festividades, talvez por ter mais liberdade ( os meus pais nunca foram de me dar liberdade para sair sozinha com amigas, mas nestas festas, costumávamos trabalhar numa barraca/restaurante do coral onde cantávamos, e como eles estavam distraídos com o trabalho, conseguíamos sempre dar uma escapada e ir para os carrinhos de choque sem eles saberem.  Pois estávamos expressamente proibidas de ir para a zona dos carrinhos e matraquilhos).

Mas lá íamos nós, eu e a minha parceira do crime. Íamos lá todos os dias da festa. Eramos tão assíduas, que os funcionários já nos conheciam e nos davam fichas de oferta.

Eram horas passadas na mais perfeita inocência e com os flertes platónicos da idade.

Agora como mãe, continuo a adorar e a vibrar com essas festas. É o cheiro, as luzes, as pessoas...
E os meus filhos nisso saem todos à mãe. O mais novo hoje ao acordar a primeira coisa que disse foi: Hoje já é o dia da festa ?

Mas não pensem que só gosto da parte profana. Claro que era e é a mais divertida, mas ia e vou todos os anos na procissão, e não é por dever, é mesmo por gosto.

Na juventude ia sempre a tocar tambor, pois era Guia de Portugal, e agora que já não faço parte das Guias vou na zona das promessas.

Este ano, infelizmente, por motivos profissionais não vou poder ir à procissão.
E nem vos passa pela cabeça o que me está a custar não poder ir.

Tinha que me calhar os dias principais das festas a trabalhar no turno da tarde.
Damn.